Como e por que doar sangue durante a pandemia do coronavírus

Fonte: Escrito por Paula Santos, Redação Minha Vida

Com o avanço da pandemia do novo coronavírus, foi estabelecido um período de quarentena em boa parte das cidades e municípios brasileiros. A fim de diminuir a proliferação da doença COVID-19, milhares de pessoas estão se mantendo em casa, saindo apenas para atividades essenciais.

Apesar do isolamento social ser uma atitude positiva e recomendada, isso acabou afetando segmentos importantes da sociedade, como os bancos de sangue de todo o país – que passaram a apresentar uma queda significativa em seus estoques.

Por isso, o Ministério da Saúde lançou uma nota informando que os mais de 500 locais de coleta no Brasil estão preparados para receber a população durante a pandemia, já que a doação de sangue é essencial para salvar vidas.

Regras para doação de sangue

Alguns novos critérios para a doação foram estabelecidos pelo departamento, de forma a evitar qualquer risco de disseminação ou contágio pelo novo coronavírus. Agora, os candidatos que não podem realizar a doação são:

  • Pessoas que viajaram para locais onde há contaminação ativa nos últimos 30 dias
  • Pessoas que tiveram contato com pacientes com suspeita ou contaminação pela COVID-19 nos últimos 30 dias
  • Pessoas que tiveram contato próximo com recém-chegados de viagens internacionais nos últimos 30 dias
  • Pessoas com gripe ou resfriado devem aguardar uma semana após a recuperação para doar

Além disso, outros requisitos continuam valendo:

  • Menores de 18 anos só podem realizar a doação com o consentimento do responsável legal
  • Pesar no mínimo 50 quilos
  • Não ter ingerido bebida alcóolica nas últimas 12 horas
  • Não estar em jejum
  • Levar documento oficial com foto no dia da doação

Pacientes com coronavírus podem doar sangue?

Sandra Esposti, médica da Pró-Sangue, conta que, conforme alinhamento feito com o Ministério da Saúde, pessoas que foram infectadas com a COVID-19 são consideradas inaptas para doação por 90 dias. Após esse período, se houver recuperação clínica, a doação pode ser feita, desde que o candidato se encaixe nos demais pré-requisitos.

Como doar sangue durante a pandemia

Para garantir que a doação seja feita de forma segura, os candidatos terão acesso ao álcool em gel nos hemocentros do país. De acordo com Sandra Espoti, pessoas que aguardam na recepção são mantidas afastadas umas das outras e há também a possibilidade de agendamento para a coleta, evitando a lotação nos locais.

Confira outras dicas para doar sangue com segurança durante a pandemia do novo coronavírus:

  • Realizar a doação fora dos horários de pico, evitando a aglomeração nos transportes públicos
  • Higienizar as mãos e os documentos após sair do ônibus/metrô/trem/carro
  • Higienizar as mãos e os documentos após entregá-los na recepção

Também é importante que as medidas preventivas divulgadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) sejam realizadas, como tampar a boca e o nariz ao tossir ou espirrar, evitar tocar o rosto com as mãos e evitar contato físico com outras pessoas.

Ainda de acordo com Sandra, é possível prever que o número de doações sofrerá uma nova queda substancial. Se não houver a constante lembrança sobre a importância da doação, muitas pessoas podem esquecer de realizar esse ato tão importante, mesmo durante o isolamento.

Portanto, se você atende aos requisitos necessários e não está no grupo de risco para a COVID-19, procure um banco de sangue próximo a sua casa, cumprindo as normas de prevenção, para que a doação seja feita de forma segura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *