Alimentação do bebê aos 6 meses

Tatiana Zanin – Nutricionista via Tua Saúde

Na alimentação do bebê aos 6 meses, deve-se iniciar a introdução de novos alimentos no cardápio, intercalando com as mamadas, seja a natural ou em fórmula. Assim, é nesta fase em que deve-se acrescentar na dieta alimentos como legumes, frutas e mingaus, sempre com a consistência de purês, caldos, sopas ou pequenos pequenos para facilitar a deglutição e a digestão.

Durante a introdução de novos alimentos no cardápio do bebê, é importante que cada alimento novo seja introduzido sozinho, para facilitar a identificação de alergias ou sensibilidades alimentares, permitindo que a família saiba qual o motivos de problemas como dores de barriga, diarreia ou prisão de ventre. O ideal é que um alimento novo seja introduzido na dieta a cada 3 dias, o que também facilita a adaptação do bebê ao sabor e textura dos novos alimentos.

Para auxiliar na introdução alimentar do bebê de 6 meses, também se pode utilizar o método BLW onde o bebê começa a comer sozinho com e com as próprias as mãos, o que traz inúmeros benefícios, como o aprendizado das texturas, formas e sabores in natura. Veja como aplicar o método BLW na rotina do bebê.

Alimentação do bebê aos 6 meses

Como deve ser a alimentação

A melhor forma de iniciar a introdução é alimentar, é contar com as três formas mais apropriadas para os bebês, como:

  1. Sopas, caldos ou purês de legumes: são ricos em vitaminas, minerais e fibras que são essenciais para o correto desenvolvimento do bebê. Alguns exemplos de legumes que podem ser dados são abóbora, batata, cenoura, batata-doce, abobrinha, couve-flor, chuchu e cebola. 
  2. Purês e papas de frutas: frutas raspadas ou amassadas devem ser dadas ao bebê nos lanches da manhã ou da tarde, podendo-se também oferecer frutas cozidas, mas sempre sem adicionar açúcar. Algumas frutas boas para iniciar a alimentação sólida do bebê são maçã, pêra, banana e mamão, goiaba e manga.
  3. Mingaus: os mingaus apenas devem ser adicionados a introdução alimentar quando feitos de acordo com a orientação do pediatra ou do nutricionista, seguindo a diluição indicada no rótulo. Podem ser dados mingaus de cereais, farinhas e amido, utilizando fontes como milho, arroz, trigo e mandioca. Além disso, não se deve evitar dar glúten ao bebê, pois o contato com o glúten diminui as chances de intolerância alimentar no futuro.

É natural que nas primeiras refeições de sólidos o bebê coma muito pouca quantidade, pois ainda está desenvolvendo a capacidade de engolir os alimentos e habitando-se a novos sabores e texturas. Assim, geralmente é necessário complementar a refeição com leite materno ou mamadeira, sendo importante não forçar o bebê a comer mais do que deseja.

Além disso, pode ser necessário que o bebê consuma um alimento cerca de 10 vezes, antes de aceita-lo completamente. 

Cardápio para o bebê de 6 meses

Ao iniciar a rotina alimentar do bebê de seis meses, deve-se ter em mente a importante da boa higienização das frutas e legumes, além disso o alimento deve ser fornecido em parto e colheres de plástico, para que os nutrientes não se percam e ocorram acidentes, como machucar a boca do bebê.

Veja um exemplo de cardápio para rotina alimentar de um bebê com 6 meses durante três dias:

RefeiçõesDia 1Dia 2Dia 3
Café da manhãLeite materno ou mamadeira.Leite materno ou mamadeira.Leite materno ou mamadeira.
Lanche da manhãPurê de frutas com banana e maçã.Melancia cortada em pedaços pequenos.Papa de manga.
AlmoçoPurê de legumes com batata-doce, abóbora e couve-flor.Purê de legumes com abobrinha e brócolis e ervilha.Purê de legumes com feijão e com cenoura.
Lanche da tardeManga cortada em pequenos pedaços.Mingau de milho.Papa de goiaba.
JantarMingau de trigo.Meia laranja.Mingau de arroz.
CeiaLeite materno ou leite artificial.Leite materno ou leite artificial.Leite materno ou leite artificial.

A recomendação dos pediatras é que sempre após alguma refeição, seja doce ou salgada, seja oferecido ao bebê um pouco de água, no entanto, isso não é necessário após as mamadas. 

Além disso, é importante lembrar que, apesar de ao aleitamento materno exclusivo ser apenas até os 6 meses de vida, a indicação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é a de que a amamentação seja pelo menos até os 2 anos de idade, dessa forma, caso o bebê solicite o leite, e for possível oferecer, que isso não seja negado, contanto que as refeições diárias sejam feitas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *